segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Teatro - Inicio da Temporada!

Com o final das férias aproxima-se o inicio da temporada de peças de teatro, várias peças irão já estrear no inicio deste mês e entre elas estão três que nós certamente não iremos perder, quer pelo actores quer pela qualidade da peça.
"EGO" - Teatro D.Maria II - Sala Estúdio

EGO
03 de Set a 11 de Out 2009
4ª a Sáb. 21h45 Dom. 16h15
Preço- 7,50 € - 16 €

de MICK GORDON e PAUL BROKSencenação JOÃO PEDRO VAZtradução FRANCISCO NICÉFOROespaço cénico e figurinos MARIA JOÃO CASTELOvídeo PEDRO FILIPE MARQUESluz NUNO MEIRAcom CATARINA LACERDA, GONÇALO WADDINGTON e ANTÓNIO FONSECAprodução TNDM II

Sinopse

Ego é o percurso desconcertante de Alex, um neurologista que não acredita na ideia de identidade ("nem essência, nem ego, nem 'eu'") mas que, depois de uma experiência que corre mal, "uma viagem num teletransporte tipo Star Trek", se vê privado da vida com a mulher e acaba a questionar tudo. Alice tem um tumor no cérebro ("Um glioma borboleta! Soou como uma coisa maravilhosa.") que vai começar a afectá-la e fazer perder mesmo a consciência da identidade do marido. A chave do problema é discutida pelo pai de Alice, Derek, que trabalha com Alex nas mesmas experiências científicas. O que começa por ser uma peça teórica sobre o cérebro acaba numa angustiante viagem emotiva. Se isso existe, esta peça é um poema 'neurológico' (como o poema de Emily Dickinson com que Alex se declarou a Alice).


"O Camareiro /The Dresser" - Teatro D.Maria II

O Camareiro
Sala Garrett
10 de Set a 25 de Out 2009
4ª a Sáb. 21h30 Dom. 16h
Preço - 7,50€- 16€
de RONALD HARWOODtradução MARIA JOÃO DA ROCHA AFONSOencenação e versão cénica JOÃO MOTAcenografia ANTÓNIO CASIMIROfigurinos CARLOS PAULOdesenho de luz PAULO GRAÇAmúsica HUGO FRANCOcom RUY DE CARVALHO, VIRGÍLIO CASTELO, MARIA AMÉLIA MATTA, PAULA MORA, JOSÉ NEVES, MARIA ANA FILIPE, ALEXANDRE LOPES, CARLOS PANIÁGUA, ARMANDO VALLE-QUARESMA, FRÉDÉRIC DA CRUZ, MARCO PAIVA, MIA FARR, RUI NETO, TÂNIA ALVESassistência de encenação HUGO FRANCOassistência de cenografia e adereços MATILDE AZEVEDO NEVEScabelos e maquilhagem LUCINDA ALMEIDAco-produção TNDM II e COMUNA-TEATRO DE PESQUISA
Sinopse
O TNDM II apresenta The Dresser, de Ronald Harwood, o galardoado argumentista de O Pianista. Baseada na vida de um dos maiores actores shakespearianos, Sir Donald Wolfit, a história remonta a 1942 e às aventuras de uma companhia de teatro em plena II Guerra Mundial. O Camareiro é um retrato apaixonante da vida nos bastidores do teatro. À frente de uma companhia itinerante, o já ancião actor e director da companhia, que é tratado apenas por Sir, luta para conseguir manter a sua própria sanidade e completar a sua 227ª representação do Rei Lear. A ajudá-lo está o seu devoto camareiro, Norman, que tudo fará para que o actor consiga cumprir esta tarefa. Uma aventura cómica e, ao mesmo tempo, emocionante sobre as relações humanas.
SEIS PERSONAGENS Á PROCURA DE AUTOR
S.Luiz -Teatro Municipal
18 de Setembro a 18 de Outubro de 2009
De quarta a Sábado ás 21h e Domingo ás 17h30
Texto Luigi Pirandello Tradução Mário Feliciano e Fernando José Oliveira Encenação Jorge Silva MeloCenografia e Figurinos Rita Lopes AlvesLuz Pedro Domingos Interpretação João Perry, Sylvie Rocha, Lia Gama, Mariema, Pedro Gil, Pedro Lacerda, Cândido Ferreira, Alexandra Viveiros, António Simão, João Meireles, João Miguel Rodrigues, Joaquim Pedro, John Romão, Miguel Telmo, Pedro Carraca, Pedro Luzindro, Rita Brutt, Vânia Rodrigues, Jéssica Anne, João Delgado, Luís Godinho, Ricardo Batista, Rui Rebelo, Sara Moura, Tinto, Afonso Rebelo e outros intérpretes (a designar)
Sinopse
"E eis que surge uma família em luto, com rostos esmaecidos e como que vindos de um sonho. São as Seis Personagens que procuram Autor e que tentam viver. Querem ser mergulhados num drama. São mais reais do que tu, encenador, trapalhão imundo. São reais e provam-no…".Foi com esta declaração que Antonin Artaud saudou a estreia em 1923, em Paris, na Comédie des Champs Elysées, deste texto que rompeu as quatro paredes falsas do teatro como, ao mesmo tempo, entre o Cais do Sodré e Campo de Ourique, Pessoa rompia a identidade da voz poética. Pirandello realiza um teatro vigoroso, de reflexão e luta interior constante, caminha até à angústia do homem obscuro que se perdeu no mundo tremendo do seu ser, do homem comum que se senta na beira do caminho e se interroga numa tentativa desesperada de se compreender e de compreender o mundo que o rodeia. Rogério Paulo (encenador e actor, 1927-1993)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Itália - Cruzeiro na Costa de Amalfi

Sala de Refeições do Hotel

Levantámo-nos cedinho, tomámos o pequeno-almoço e quando fomos buscar as toalhas para ir para o cruzeiro o bar do hotel que distribuia as toalhas ainda estava fechado ás 9:15 quando supostamente abria ás 9h, tivémos que pedir na recepção que fossem buscar-nos toalhas e já estavámos a ficar atrasados porque tinhamos que estar nas bilheteiras ás 9:30 para levantar os bilhetes, fomos praticamente a correr e conseguimos chegar ás 9:30 em ponto á Marina onde levantámos os bilhetes e quando tirámos o dinheiro para pagar disseram-nos que teriamos que pagar no hotel, ficámos surpreendidos mas tudo bem.
Esplanada do Hotel

Marina Piccola - Sorrento

Sorrento do Mar


Ás 9:45 começou o embarque, entrámos para o barco e sentámo-nos na parte de cima nas espreguiçadeiras, o barco ainda era bastante grande e tinha 3 niveis, o de baixo que tinha a sala de refeiçõe e bar no interior e cadeiras no exterior, a parte de cima repleta de espriguiçadeiras com uma parte protegida com um bar e cadeiras e o último era um género de varanda grande também ela repleta de espriguiçadeiras, no -1 estavam as casas de banhos e chuveiros.
Passado alguns minutos começou a nossa viagem pela Costa de Amalfi.
O barco do cruzeiro

A Viagem
Estava um calor enorme e aproveitámos logo para trabalhar um bocadinho para o bronze mas com muito protector, as paisagens que iamos vendo eram simplesmente espetaculares, a água do mar era azul, a mais azul já vimos simplesmente lindo, puseram música a tocar e vieram os empregados perguntar a todas as pessoas se iriam querer almoçar e qual era o menu para depois servirem, nós dispensámos!


Farignoli Rocks- Capri
Ás 11h chegámos a Capri junto da Faragnoli Rocks onde o barco parou e desceu as escadas para mergulharmos, tivémos 30 minutos de paragem.
Capri

Nós não resistimos, apesar de eu estar com algum medo, mergulhámos e claro que a água estava quente..hmmmm...soube tão bem...que maravilha, o meu amorzinho ficou lá ainda bastante tempo enquanto que eu ia entrando e saindo e tirando fotografias!
Capri

Mas foi uma das melhores sensações que tivémos até hoje, mergulhar praticamente em alto mar tendo como cenário as Faragnoli Rocks, água quente, azul, foi inesquecível!!
Á saida de Capri

Depois dos mergulhos o barco retomou o seu caminho em direcção a Positano, enquanto isso nós fomos tomar um duche para tirar o sal(o Mediterrâneo é hiper salgado) e fomos apanhar mais um bocadinho de sol para as cadeiras enquanto iamos admirando as belissimas paisagens.
Positano

Chegados a Positano o barco parou afastado do porto e aguardou que um barco viesse buscar os passageiros que tinham decidido descer em Positano, nós decidimos sair em Amalfi por acharmos que seria mais interessante, claro que queriamos ver todas as cidades mas não era possivel e fizémos as nossas opções.
Positano

Positano visto do mar é uma cidade linda e tipicamente da costa de Amalfi, toda ela é virada para o mar na colina e com as casas em cascata para o mar, não resitimos a tirar imensas fotografias como é óbvio.
Á saida de Positano
Paisagens Lindas

Retomámos a viagem rumo a Amalfi e passado pouco tempo já estávamos a atracar em Amalfi onde ficámos durante duas horas livres para passear.
Beleza Natural
Amalfi

Amalfi é uma comuna italiana da região de Campania, província de Salerno, com cerca de 5.421 habitantes, considerada uma das mais antigas Repúblicas marítimas.
Porto de Amalfi

Entre os testemunhos mais importantes da grandeza de Amalfi estão as "Tábuas Amalfitanas" (Tavole Amalfitane), um código que reunia as normas do direito marítimo que permaneceu válido durante toda a Idade Média.
Amalfi

Amalfi, que foi a máxima potência marítima, em 1137 foi saqueada pelos pisanos enquanto estava envolvida em catástrofes naturais (grandes inundações) e anexada ao Reino Normando.
Depois da conquista pelos normandos, Amalfi iniciou uma rápida decadência, sendo substituída por Nápoles no seu papel de potência mercantil.
Amalfi

Já em Amalfi começámos a caminhar(sob um sol fortissimo) pelas suas ruas estreitas com prédio antigos colados uns aos outros, vielas inundadas de comércio, restaurantes e pessoas até chegarmos ao Duomo/Catedral de Amalfi ou de Sant’ Andrea.

Fábrica/loja de Limoncello
Catedral de Amalfi

A Catedral é lindissima, mal a vimos quando se sai da esquina de uma rua fica-se deslumbrado pela beleza e diferença da mesma. Fomos até lá e entrámos para visitar por dentro, a entrada foi apenas 2 €
Catedral de Amalfi
Vale a pena visitar o Duomo de Amalfi ou Catedral de Sant' Andrea, é aqui que está a cripta construida em 1253 onde está sepultado o apóstolo Santo André, tem também um altar em sua homenagem do mais rico e bonito que se possa imaginar!

Torre da Catedral

A Catedral tem origens antigas e foi renovada várias vezes através dos séculos. A estrutura original remonta ao século IX, mas a igreja foi totalmente reconstruída em 1203.
Catedral de Amalfi
Interior-Altar ao Apóstolo André
Altar ao Apóstolo Santo André

Altar Santo André
Interior da Catedral
Interior da Catedral
Documento do Papa João Paulo II
Praça da Catedral
Quando terminámos a visita á Catedral fomos almoçar, sentámo-nos numa das muitas esplanadas e comemos uma pizza que estava bastante boa.

Ruas de Amalfi
Amalfi
Fonte em Amalfi
Demos mais uma voltinha pelas lojas e regressámos ao porto para apanhar o barco de volta.
Casas em Amalfi
Rua de Amalfi
Saída de Amalfi

Embarcámos e começou a viagem de regresso, apareceram algumas nuvens no céu durante a volta mas a viagem correu bem, aliás optimamente porque nós adorámos e voltariamos a repetir, as paisagens eram lindas, o mergulho no mar em Capri foi inesquecível, Amalfi lindo, o barco tinhas as condições todas necessárias para estarmos sempre confortáveis e o mar é calmissimo.
O nosso hotel e o Hotel Europa

O nosso Hotel

Praia Privada do Hotel

Quando chegámos a Sorrento fomos ao hotel arranjarmo-nos e fomos jantar, jantámos no Restaurante Lanterna ao lado de uma Igreja e numa praça girissima, a comida estava óptima como sempre.
Piazza Tasso
Restaurante Lanterna
Restaurante Lanterna

Demos um passeio e regressámos ao hotel porque ás 23H30 ia haver um espetáculo de fogo de artificio no mar e queriamos ter lugar na fila da frente no terraço do hotel e conseguimos, pedimos dois copos de vinho para acompanhar a ocasião. Estavam vários barcos particulares parados ao lado da marina debaixo do nosso hotel a fazer jantares para verem o fogo de artificio do mar, o espetáculo começou atrasado já perto da 24h mas foi lindo, durou cerca de 30 minutos com um cargueiro que ia mandando o fogo e os outros barquinhos ao lado também mandavam de vez em quando, foi um espetáculo visual lindo!!
Fogo de Artificio

Eu que adoro fogo de artifico “tirei a barriga de misérias” nestas férias!

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Itália-Costa de Amalfi: Sorrento 2ºparte

Praia Privada

Acordámos já tarde e quando chegámos á sala o pequeno-almoço já não estava a ser servido, mas um empregado muito simpático disse para nos sentarmos na esplanada e que iria trazer 2 pequenos-almoços Continentais e assim o fez, trouxe-nos dois tabuleiros enormes com um bocadinho de cada, foi impecável.

Fomos até á piscina que já estava cheia e as cadeiras que não estavam ocupadas estavam marcadas, já só havia duas á sombra onde ficámos um bocadinho e depois fomos investigar a praia e foi onde ficámos até ao final do dia. A água era quente, deliciosa, o sol escaldante, estávamos nas nossas sete quintas.

Foi um dia de puro descanso e trabalhar para o bronze(sempre com muito protector)!


Á noite fomos jantar ao Restaurante/Pizzeria Aurora na Piazza Tasso, que já tinhamos a indicação que era onde serviam as melhores pizzas e tinha ganho prémios e tudo.
As pizzas estavam bastante boas, mas o nosso conceito de pizza está um bocadinho diferente do deles, além de já gostarmos da pizza americana também colocamos muito mais ingredientes que eles nas pizzas, mas estavam bastante boas!

Piazza Tasso
Igreja na Piazza Tasso
Lobby do Hotel
Lobby do Hotel

Mais um passeio pelas ruas, ver as montras, conhecer um pouco mais da cidade e voltámos ao hotel para descansar!

Escadas para a Marina

No dia seguinte já nos levantámos mais cedo, tomámos o pequeno-almoço e a seguir fomos até á Marina Piccola saber que cruzeiros e ferries havia, os horários e preços para podermos decidir o que iamos fazer nos próximos dias. Reunimos a informação toda, vimos a praia pública e regressámos ao hotel para mais um dia de piscina e praia!

Bilheteiras na Marina Piccola
Praia pública na Marina
Praia privada do hotel

Hotel
Vesúvio

No final do dia fomos até à recepcção do hotel perguntar qual dos cruzeiros dos que nós tinhamos as brochuras nos aconselhavam, porque apesar de o circuito ser igual um era 24 € e o outro 35 €, o Mr.Salvatore recomendou-nos o mais caro e uma vez que era necessário marcar perguntámos se era possível ele fazer a ligação e marcar porque até era mais fácil(por causa da lingua), ele assim o fez á nossa frente e deu-nos o número da bilheteira onde tinhamos que ir levantar os bilhetes no dia seguinte ante de embarcar(Mas no final da nossa estadia isto correu muito mal, mas explicaremos á frente).

Igreja
Á noite eu estava com desejo de Tagliatelle á carbonara e conseguimos descobrir um restaurante girissimo que ficava na Via S.Cesareo, numa rua estreitinha. A minha Tagliatelle estava DIVINAL e o meu amorzinho comeu Gnocchi e também adorou.

Igreja

No final da refeição começámos a ouvir um barulho e lembrámo-nos que era a procissão que eu julgava só ser no dia seguinte, como já tinhamos a conta paga juntámo-nos ás restantes pessoas que foram ver e acabámos por seguir a procissão que parava com o andor de Santa Anna em todas as igrejas de Sorrento, e quando demos por nós já faziamos parte da procissão, começámos a descer até ir dar á Marina Grande(que é na verdade a mais pequena e também a mais antiga onde estão os pescadores) onde a procissão parou com o andor da Santa virado para o mar e seguiu-se um espetáculo de fogo de artificio ao mesmo tempo que os sinos tocavam sem parar, foi simplesmente lindo, espetacular! Após o fogo de artificio que ainda durou +- 15 minutos, a procissão continou e parou em frente á Igreja de Santa Anna onde disparam imensos paelinho brilhantes e a santa entrou para dentro da igreja onde nós já só conseguimos espreitar.

Tecto lindissimo de uma das igrejas
S.Anna
Centenas de pessoas na procissão
Fogo de artificio
Fogo de artificio
Marina Grande
Espetáculo de papelinhos
Igreja S.Anna

A seguir tinhamos o problema de como voltar para o hotel porque nós ainda tinhamos andado uns 2 km a pé e já era 0H00, eu sabia que havia autocarros mas tão tarde tinha dúvidas mas passado um bocado lá apareceu um autocarro que ficou completamente cheio, pareciamos sardinha enlatada e nem pagámos o bilhete;)


Voltámos para o hotel para irmos dormir porque no dia seguinte tinhamos que estar ás 9:25 na Marina Piccola para ir no cruzeiro que partia ás 9:55 com paragem de 30 minutos próximo das Farignoli Rocks em Capri para mergulharmos, depois seguiamos para Positano e era opcional descer, porque o barco depois seguia para Amalfi onde parava 2 horas para visitarmos, nós decidimos descer em Amalfi, e depois regressava a Sorrento.


videoVideo Procissão

As Viagens

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails